domingo, 27 de maio de 2012

PROTOZOÁRIOS


 Protozoários
     O objetivo da apresentação deste trabalho aborda o que são os Protozoários, suas estruturas de funcionamento, doenças transmitidas aos seres humanos e animais, e os veículos de transmissão, em uma linguagem simples.
          Agrupados no Reino Protista junto às algas unicelulares crisófitas, euglenófitas e pirrófitas de acordo com suas semelhanças mais evidentes, os  Protozoários são seres unicelulares, heterótrofos, eucariontes.A maioria vive em águas, doces e salgadas, em regiões iodosas e terra úmida.
          Há espécies de vida livre e também parasitas, por sua vez algumas espécies são de grande importância para os seres humanos.
          Os Protozoários são classificados de acordo com o tipo de estrutura de locomoção.
Temos:

Ciliados
           Possuem cílios usados para locomoção e captura de alimentos, são mais curtos e numerosos comparados aos flagelos. São de vida livre. Por exemplo, o Paramecium Caudatum, tem sua estrutura longa e achatada, lembrando uma sola de sapato. As paramécias habitam a água doce e são especialmente frequentes em pequenas poças de água suja (por exemplo, perto de estábulos). Tem reprodução sexuada e logo após assexuada

Paramecium Caudatum

Flagelados
          Possuem flagelos que são usados para locomoção e também para captura de alimentos. São mais longos que os dos ciliados. São de reprodução por divisão binária longitudinal, processo em que uma célula se divide em duas, por mitose, e origina duas células geneticamente idênticas.



Rizópodes, Sarcodíneos ou Amebóides

          Se locomovem por meio de  expansões citoplasmáticas  que são conhecidas por pseudopos ou falsos pés, utilizados também para a captura de alimentos. Eles rodeiam o alimento e os englobam. São de vida livre na água doce ou salgada.
     A reprodução assexuada é por bipartição simples ou cissiparidade (mecanismo semelhante à mitose).
         Em condições desfavoráveis, por exemplo, sujeita à desidratação, a Entamoeba produz formas de resistência, os cistos, com quatro núcleos no seu interior (partição múltipla).


Esporozoário
Não possuem estrutura de locomoção, são todos parasitas. A reprodução se dá por esporogonia, ou seja, a união de microgametas e macrogametas formando o ovo ou o zigoto, o qual pode dividir-se para fornecer um certo número de esporozoítos.


Tamanho:
A maioria deles é minúscula, medindo de 0,01 mm a 0,05 mm aproximadamente, sendo que algumas exceções podem medir até 0,5 mm como, por exemplo, os foraminíferos.

Protozoários e doenças causadas por eles:

    Balantidium Coli,  parasito causador da balantidíase, uma infecção que acomete o intestino grosso humano. Os casos humanos se relacionam, em geral, com a presença de porcos infectados. O quadro clínico pode: ser assintomático, ser do tipo crônico ou produzir diarreia ou disenteria (fezes com muco e sangue), sendo que na última situação o quadro é indistinguível daquele produzido pela amebíase. O diagnóstico da balantidíase é feito através da visualização de trofozoítos ou de cistos no exame de fezes ou no tecido coletado durante a endoscopia.

     A prevenção se faz através: da higiene adequada das mãos e dos alimentos, do pleno cozimento de alimentos, da fervura ou filtração da água, do tratamento dos Trofozoíto do balantidium coli /cisto do balantidium coli/ forma pré-cistica de balantidium coli   

balantidium coli /cisto do balantidium coli/ forma pré-cistica de balantidium coli   

Trichomonas vaginalis, causa a Tricomoníase. Afeta o sistema genital. O modo de transmissão ocorre pelo contato com portadores infectados, uso de sanitários ou de toalhas contaminadas.

Leishmania braziliensis: Causa a leishmaniose tegumentar ou úlcera de Bauru ('ferida brava'). Vive no interior das células da pele e é transmitida pelo mosquito-palha (birigui).


A Entamoeba Histolytica completa seu ciclo em apenas um hospedeiro, e o modo de infecção é fecal-oral, ou seja, o homem se infecta ao ingerir cistos presentes na água ou nos alimentos contaminados. O desencistamento ocorre na porção final do intestino delgado, desprendendo os trofozoítos que passam a viver como comensais e a reproduzir-se por divisão binária. Provocando a Amebíase que causa a desinteria.

Tratamento
         Vários amebicidas administrados pela via oral (p.ex., iodoquinol, paromomicina e diloxanida) matam os parasitas intestinais. O metronidazol ou a dehidroemetina são administrados nos casos de doença grave e de doença localizada fora do intestino. São realizados exames de fezes 1, 3 e 6 meses após o tratamento para se assegurar que o paciente está curado.
A malária é uma infecção dos eritrócitos (glóbulos vermelhos, hemácias) causada pelo Plasmodium, um microrganismo unicelular. A malária é transmitida pela através da picada do mosquito fêmea infectado do gênero Anopheles, de uma transfusão de sangue contaminado ou de uma injeção com agulha anteriormente utilizada por uma pessoa infectada. Quatro espécies de parasitas – Plasmodium vivax, Plasmodium ovale, Plasmodium falciparum e Plasmodium malariae – podem infectar o ser humano e causar a malária.
A toxoplasmose é uma infecção causada pelo Toxoplasma gondii, um parasita unicelular. A reprodução sexual desse parasita ocorre apenas nas células que revestem o intestino dos gatos. Os ovos (oocistos) são eliminados nas fezes desses mamíferos. Os indivíduos adquirem a infecção ao consumir carne crua ou cozida inadequadamente que contém a forma inativa (cistos) do parasita ou através do contacto com o solo que contém oocistos oriundos das fezes de gato. Quando uma mulher grávida é infectada, a infecção pode ser transmitida ao feto através da placenta. Ela pode abortar, o recém-nascido pode nascer morto ou com toxoplasmose congênita.


Veículos de Transmissão
Os protozoários são transmitidos principalmente pela água e alimentos contaminados, podendo também ser transmitidos por animais e insetos

Ecologia
Os protozoários servem como indicadores da qualidade do ambiente, sendo que em águas poluídas por resíduos industriais normalmente não aparecem muitos protozoários enquanto que em águas e solos onde exista matéria orgânica em decomposição eles aparecem em abundância fazendo a decomposição de fezes e qualquer matéria orgânica morta e com isso colaborando com a limpeza do meio ambiente, a presença de muitos protozoários indica que aquele ambiente está ecologicamente saudável.

Conclusão
Nós alunos do curso técnico em quimica aprendemos com este trabalho, que os protozoários são um dos seres vivos mais antigos da terra e que muitos deles são causadores de doenças, mas eles também são indicadores da qualidade do ambiente e agem na decomposição de matérias organicas, tornando-se assim muito úteis na natureza.

Fonte:
ü  Rizópodos: http://mmspf.msdonline.com.br/pacientes/ manual_merck/secao_17/cap_184.html#section_2;
ü  Ruppert, Edward E, Fox, Richard S., Barnes, Robert D. Zoologia dos invertebrados: uma abordagem funcional-evolutiva. São Paulo. Roca, 2005;
ü  www.yahoo.com.br/respostas;
ü  www.sobiologia.com.br/conteudos/reinos/bioprotista2. php ;
ü  Pt.wikipedia.org/wiki/entamoeba_gengivalis;
ü  Pt.wikipedia.org/wiki/entamoeba_histolytica.

Trabalho feito pelos alunos:
Evandro
 Evangelista
 Júlio
 Leonardo
 Paulo 


Professor: Carlos Eduardo Estêves de Paula

Nenhum comentário:

Postar um comentário